segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

MindBlowing

Preciso ficar sozinha com minhas palavras para que elas façam mais sentido,
Beber da fonte que me trai, filtrando sua potencialidade.

Quantas águas mais até a sabedoria?
Deixo fluir sem forçar o superego.

A genialidade tem muito a ver com o libertar as palavras no papel
e organizar as ideias.

Um verso de cada vez, de cada suspiro, regando a fertilidade:
Coisas ditas e não-ditas vão reconstruindo o mundo.

Nada repuxado à mente, mas entrelaçado em fio de meadas.
O dono vai fazendo seu papel muito bem feito.

Ameaças surgem do prévio antes não esperado.
O receio dos comparsas se torna mais banal e inaceitável.

Quando o incômodo vai embora é porque o incomodado
solucionou o enigma. O hospedeiro partiu.

A partir de agora, é uma questão de movimento.
Os traços foram traçados e não há mais opções.

O corpo fará o que a consciência não quer.
Senão fizer, em vão pôs suas forças a trabalhar.

Aí está um sujeito definido e o que o define: um nível a mais ou
a menos em sua conduta na guerra contra si próprio.

6 comentários:

  1. Tive de ver quem era "Felicidade" pra descobrir. rs
    Obg Ray :)
    Estou te seguindo =*

    ResponderExcluir
  2. Já dizia um anime "você não deve temer a escuridão que há dentro de você" a decifre com um mar de palavras...um turbilhão de letras que com certeza dará fim a essa guerra de você para vc mesma xD

    ResponderExcluir
  3. Tudo faz sentido quando você dá sentido a isso. É outro nível de percepção dentro do cérebro depois da percepção (interpretação da sensação que vem do estímulo externo nos órgãos sensoriais). Vários níveis limiares para se chegar na compreensão final e "evoluir" mentalmente e espiritualmente.

    ResponderExcluir
  4. leio muito Augusto Cury, sou fascinada pela modo com ele pensa e no poder que seus livros tem de me fazer refletir, sorrir, chorar, mudar meus conceitos e me influenciar a ser uma pessoa mas confiante, paciente, compreensiva, madura em vários termos.
    Não tem problema seus textos enormes rsrs fico feliz em lê-los, quer dizer que meu post surtiu efeito! :D
    sobre sua postagem, gostei muito do texto, me identifiquei bastante. Na verdade, vivo numa constante guerra comigo mesmo, domesticando os fantasmas da minha mente, como diria o Cury. Adoro organizar as idéias desabafando em um papel. E essa parte: "Quando o incômodo vai embora é porque o incomodado solucionou o enigma. O hospedeiro partiu". Me chamou muito a atenção.
    Um ótimo final de semana. Bjs

    http://corujaessencia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Organizar ideias no papel é uma das melhores formas do cérebro resolver os problemas, porque ele funciona melhor quando vê imagens/exemplos.
    A imagem que o texto passa é a sua estrutura, a curva das letras, as retas. Quando mais simples, melhor. Assim conseguimos achar soluções, porque "colocamos as ideias no lugar", ou seja, fica mais visível aos olhos (literalmente. rs) e interpretamos isso mais facilmente =)

    E a parte que você falou "Quando o incômodo vai embora é porque o incomodado solucionou o enigma. O hospedeiro partiu" se refere ao processo de descobrimento, o encontro do problema e sua solução. Quando dá aquele "insight" (solução de um problema), ficamos mais aliviados, tranquilos... Assim as sensações de MEDO, EUFORIA, RECEIO, CULPA que habitavam, vão embora, pois é a partir de quando tomamos consciência de um problema, é que ele pode ser resolvido. (ninguém resolve algo interno que não sabe que existe. isso acumula e fica guardado.)

    Que bom que gostou. Fico feliz! rs
    Bom final de semana! =*

    ResponderExcluir