segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

MindBlowing

Preciso ficar sozinha com minhas palavras para que elas façam mais sentido,
Beber da fonte que me trai, filtrando sua potencialidade.

Quantas águas mais até a sabedoria?
Deixo fluir sem forçar o superego.

A genialidade tem muito a ver com o libertar as palavras no papel
e organizar as ideias.

Um verso de cada vez, de cada suspiro, regando a fertilidade:
Coisas ditas e não-ditas vão reconstruindo o mundo.

Nada repuxado à mente, mas entrelaçado em fio de meadas.
O dono vai fazendo seu papel muito bem feito.

Ameaças surgem do prévio antes não esperado.
O receio dos comparsas se torna mais banal e inaceitável.

Quando o incômodo vai embora é porque o incomodado
solucionou o enigma. O hospedeiro partiu.

A partir de agora, é uma questão de movimento.
Os traços foram traçados e não há mais opções.

O corpo fará o que a consciência não quer.
Senão fizer, em vão pôs suas forças a trabalhar.

Aí está um sujeito definido e o que o define: um nível a mais ou
a menos em sua conduta na guerra contra si próprio.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Uma noite, 5 ensinamentos.

Um dia cheguei na igreja para ouvir a palavra de Deus em uma igreja que não ia há muito tempo e recebi um ensinamento valioso. (Não era dia de culto, mas no dia imaginei que fosse, pois em algumas igrejas os dias são diferentes e, como encontrei a porta aberta, resolvi entrar.) Ali estavam a Pastora da igreja que eu não via há um bom tempo e uma irmã que não conhecia.

Nesse ponto eu estava prestes a conhecer a primeira lição que Deus ia me dar naquele dia.

A Pastora me viu e disse: Priscilla! Tudo bom?
Eu tinha dito que sim, mas estava curiosa sobre a igreja estar vazia. Só havia a pastora e essa irmã.
- É dia de ensaio, mas senta aí!
- Mas pastora, se não é dia de culto...
- É o que é que tem? Senta aí que vou te perguntar uma coisa... - disse me cortando.
- Priscilla, como você explicaria Jesus? Como você me apresentaria Jesus?
- Ora, pastora... Jesus é quem intercede pela minha vida, assentado ao lado do trono de Deus, é quem... (a pastora interrompe)
- Mas a pessoa dele eu conheço. E como você apresentaria pra quem não conhece?
- Aaaah...
- Então!

Fiquei pensando por alguns segundos e respondi:
- Jesus é como o Amor!
A pastora perguntou: Como assim?
- Você vê o amor?
- Não.
- Mas você pode sentir o amor?
- Sim.

[Ela sente o amor porque tem Jesus, pois Deus é o amor.
"Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." 1 João 4:8
E ninguém vem ao Pai (Deus), senão pelo Filho (Jesus).
"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14:6]

- Então... você pode sentir o amor nas atitudes das pessoas, na forma como fala, no testemunho que dá, e assim é Jesus; você pode senti-lo nas pessoas na forma como elas dão testemunho natural de suas vidas, ou seja, como falam, como Deus age, como elas se deixam ser usadas pelo Espírito Santo, como Jesus é misericordioso em suas vidas, e também na forma como se portam, como falam, andam, vestem... Esse é o testemunho vivo da nossa vida.
- Hmmmm... muito bem. Gostei! Muito explicado! (risos) Agora posso te explicar da minha forma?
- Claro!
- Vamos lá... - girou o vento do ventilador todo pra mim - Você vê esse vento?
- Não - respondi.
- Consegue sentir esse vento?
- Consigo!
- Consegue abraçar o vento?
- Não...
- Claro que não... O vento é que te abraça. O vento é que vem até você.

[O vento é que vem até nós, o sentimos, e depois é que podemos ir mais proximamente (estar mais íntimo) de encontro a ele.
"Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro." 1 João 4:19]

- Hmmmmmmmm.... Entendi. Boa explicação. (risos)
- Entendeu?
- Entendi. Boa forma de explicar.
- Agora vamos ver outra forma de explicar a uma pessoa que não conhece Jesus como é a vida sem Jesus... 

A pastora apaga as luzes e fico apreensiva. Ela fala: Você vê alguma coisa?
Eu digo: Quase nada.
Ela retruca: É assim mesmo. É assim mesmo que vive uma pessoa sem Jesus. Não tem luz na vida, a luz que é Jesus.
Nesse momento brotaram diversos exemplos de frases que eu poderia usar para me expressar sobre Jesus, como:
"Tá vendo alguma coisa? É isso. Nós sem Jesus não enxergamos nada. O que você pode vislumbrar é uma sombra de algo que acha que viu, algo que acha que conhece, mas só com Jesus você conhece a verdade.","Sem Jesus não podemos tomar direção já que não sabemos o caminho. Estamos cegos."

["Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." João 14:6
O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus. 2 Coríntios 4:4]

E continuei imaginando... E a pastora continuou seu ensinamento: Agora quando acendemos a luz... A LUZ! Jesus Cristo! O entendimento, a sabedoria, a vida!


Essa foi a primeira lição: Como falar de Jesus para quem não o conhece. Exemplos que me fizeram pensar em outras formas de como eu poderia apresentar Jesus e que as pessoas entenderiam facilmente.

Fiquei muito satisfeita com esse ensinamento que ela tinha me passado. Muito mesmo. Depois a pastora foi perguntando a cada irmã que chegava para o ensaio (na verdade não tinha culto. Era dia de ensaio e eu tinha ido porque a porta estava aberta) como ela poderia apresentar Jesus para uma pessoa que não o conhecia.
Cada irmã foi falando da sua maneira e, apesar de todas terem uma ótima explicação, no começo elas (e eu) nos enrolamos por alguns segundos. Me fez refletir em como devemos estar sempre preparados para falar do amor de Deus para alguém. Não podemos vacilar. Já que lemos a bíblia constantemente, conversamos com Deus diariamente, temos de dominar o assunto e saber destrinchá-lo no nível preciso de cada pessoa que Deus pode colocar em nossa vida.
Falar de Deus com quem está no mesmo nível de conhecimento e entendimento é fácil como falar com um colega de faculdade quando se quer discutir a matéria. Difícil é o momento em que te pegam despreparado para falar daquilo que mais sabe a uma pessoa que não sabe de nada. É quase como querer dar uma palestra em um tempo curtíssimo falando o mínimo de termos científicos possíveis, explicando e exemplificando tudo a quem assiste. Impossível? Não, mas exige uma preparação mais do que básica. Devemos reservar um tempo de preparo para cada tipo de "público" que queremos falar de Deus e que Ele irá nos presentear para que ouçam de Jesus. Se somos excelentes em falar de Deus com o irmão, também devemos ser brilhantes e claros ao falar do amor que Ele preparou para nós. O resto deixe com o Espírito Santo que é quem convence. Façamos a nossa parte e façamos bem-feita!


Essa foi a segunda lição que Deus me deu neste dia: Estar sempre preparada para falar da palavra dEle pra alguém, seja esse alguém um cristão que está afastado, um não convertido, um rebelde, um cristão que está dentro da vontade de Deus, etc. Quem for não importa. Esteja preparado para falar "em qualquer língua" em que Deus colocar o desafio pra você.

Depois de todo o ensinamento, as irmãs do louvor ensaiaram sua música. Uma música, porque a outra estava em outro cd que a pastora não tinha encontrado. Foi coisa de Deus. Vou contar pra vocês.

Eu não estava com nada na mente e a pastora me chamou pra louvar. Caramba, eu louvar? Eu sei louvar, já louvei em coral, mas não tinha nenhuma música em mente e nenhum cd pronto comigo. Pois bem, eu tinha recebido do Pai e queria deixar as pessoas de mãos vazias? Não pode, né!? Aí vai o terceiro e quarto ensinamento.

Louvei um hino da Harpa que Deus colocou em minha memória: 578. Esse Hino é aquele "As ondas atendem o meu mandar... Sossegai!" (Veja aqui o hino: http://www.harpacrista.org/hino/578-sossegai/) Enfim, quando terminei de louvar, percebi que algumas irmãs sentiram fortemente a presença de Deus. Pensei "Que bom. Deus me usou. Eu que nunca pensei que me usaria assim."


O terceiro ensinamento que recebi foi: Nunca vá à igreja de mãos vazias, pois Deus não te despede de mãos vazias. Claro que se você ficar "ligadinho" com Ele óbvio que terá renovo, cura, restituição e tudo aquilo em que Deus quer te suprir. Mas, se não tiver, aí já é pedir demais. Tem que ir na casa de Deus com propósito. Propósito pra receber e propósito para dar, porque Deus é misericordioso sempre conosco quando queremos ver aquele irmão sendo usado pra gente... mas e a gente? Deus não usa? Claro que usa! Quando deixamos ser usados, quando buscamos a Ele e quando estudamos.



Eis aí o quarto ensinamento: Deus nos usa quando estudamos. Deus nos fará lembrar do que estudamos.
Imagina você indo fazer aquela prova da escola/faculdade e não estudado absolutamente nada. Na hora que pode estudar você estava dormindo. O tempo pra estudar estava curto, pois você tinha aquele compromisso. Saiu tarde do trabalho, foi com a namorada/namorado em tal lugar, foi resolver as coisas na rua e... aí? Cadê o tempo pro estudo? Bem que na hora da prova bate aquela culpa de "Caramba, eu deveria ter estudado" ou "Deveria ter estudado mais essa matéria". Mas aí já era, né? Cabe agora ao Espírito Santo milagroso reviver coisas em sua cabeça que estavam quase apagadas, já que você não as tinha estudado desde a aula ou desde sei lá quando. Claro que não! Você faz a sua parte e Deus faz a dEle! Lembra que falei isso antes? Deus pode até te fazer lembrar de algo passado e difícil pra te dar a ajuda que precisa pra passar na prova, mas... cada um com seu esforço. Deus não age sozinho. Deus faz o impossível só quando você já se esforçou pra fazer o possível, senão pra que Deus vai fazer o impossível se você nem tentou o possível? Assim é a mesma coisa com a palavra de Deus e na vida. Nada vem sem esforço. Nós temos de estudar a palavra de Deus e meditar nela assim como estamos estudando pra uma prova. A prova acontece quando Deus nos coloca À PROVA. E é dessa maneira: À frente de um ministério, nos preparando para pregar, louvar, dançar no grupo de coreografia, nos preparando para adorá-lo, nos preparando para sermos melhores professores para a classe das crianças, do jovens, dos adultos, na classe que Deus te colocou pra ensinar da palavra dEle. É desse jeito que Ele está vendo nossa intimidade diária com Ele e como nos saímos no empenho que damos a quem deu seu único filho. Finalizando o quarto ensinamento: Você tem de estudar a palavra para poder pregá-la e, assim, o Espírito Santo irá te trazer a memória aquilo que você leu, meditou e buscou para trazer às suas almas.

A quinta e última lição que Deus me deu foi no final do culto. Uma colega minha de faculdade, Natália, tinha comentado sobre o assunto comigo, mas foi naquele dia de culto que Deus me alertou.

Perceberam que eu falei "final do culto" e não "final do ensaio"? Aquele era pra ser um ensaio normal e ali se fez um culto. Foi mais que um ensaio de adoração para o culto, foi um culto de verdade. A pastora fez se tornar um culto, pois dirigiu e direcionou o ensaio até que se tornasse um culto. Todos nós pudemos desfrutar daquele momento que simplesmente fluiu como brisa no ar. Foi sutil e não pareceu nada plástico ou forçado. No final, a pastora contou a história de que um dia alguns visitantes chegaram tarde para o culto e ela já estava fechando a igreja. Um homem que vinha na frente, disse:
- Pastora, abre as portas que o pessoal chegou!
- Mas o culto já acabou! - ela disse num tom de "o culto acabou. não se pode fazer mais nada."
- Não! ...Abra as portas porque esse povo veio de longe pra participar do culto e vai participar do culto!
- Tá bom... - disse depois de ter pensado um pouco e ter concluído que o pessoal deveria assistir, pois vieram pra isso, e também que não tem hora errada quando é Deus que envia pra ouvir sobre a Sua palavra.
Ela abriu as portas, chamou os irmãos que moravam ali perto para ajudar nesse outro culto (inclusive ela e o pastor da igreja, seu marido, que moravam logo ali do lado da igreja) e fizeram outro culto para aqueles que vieram de muito longe e não conseguiram chegar antes.


Quinto ensinamento: Deus manda a hora que Ele quer. Se chegou atrasado ou se chegou na hora, tanto faz. A responsabilidade é dada a quem está de frente da obra, do ministério, quem está ajudando, ou seja, a igreja. A responsabilidade é da igreja e a igreja somos nós. Nós devemos atender quando Deus manda a qualquer hora. O oleiro que fez o barro é que sabe da sua utilidade. Esse mesmo oleiro é o que enche o vaso de azeite quando o vaso precisa. Somos ferramentas de Deus para serem usadas nos momentos que Deus quer: sempre em Sua dispensação.
O culto que prestamos não precisa estar dentro da igreja, necessariamente, podemos fazer o culto em nossa casa em ações de graça. Claro que devemos ir sempre à igreja para aprendemos muito mais sobre Deus. O que eu quero dizer é que o culto não deve depender de igreja, e sim de nós. Nós devemos estar prontos para fazer um culto para nosso irmão, chamar nossos amigos, fazer aquela reunião de jovens (ou adultos) e ir na casa desse irmão para alegrá-lo, mostrar apoio e mostrar que Deus nos escolheu, somos separados, para falar desse amor. Não se deve ter hora nem lugar para adorar a Deus e a Ele render glórias. O tempo é agora, o "onde" é aqui. Nós fazemos a igreja e o culto nós prestamos a Ele.

["Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,
O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas;
A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho;
Do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder.
A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo,
E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;" Efésios 3:4-9]

Que Deus nos ilumine com esses ensinamentos e que nunca possamos nos esquecê-los!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Degeneração

Falar palavras bonitas, colocá-las no papel, mas acima disso, vivê-las é a maior prova de hipocrisia nas redes sociais.

A hipocrisia aumentou ou será que também o senso de concordância de que as pessoas precisam para se sentirem aprovadas, tendo seu ego facilmente alimentado?

A ilusão é uma constante perda de tempo real da qual não mais se verá e viverá como se houvesse a perda de tempo.
Apenas se lamentará imaginando o que teria ocorrido e em que status emocional, espiritual e financeiro se encontraria caso não cedesse à ilusão.

Tudo está intimamente interligado. Para alguns fará sentido somente no fundo no poço.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Pragma

A mensagem que lhe mando todos os dias é subentendida.
Fica no ar o amor, carinho e apego.
A saudade que sinto de ti transborda e dela é o que mais me recorda
Dos carinhos, do seu colo, o sossego.